Google+ Followers

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Salada: o grande dilema das crianças


Uma das principais queixas e dificuldades dos pais é a introdução de verduras, legumes e, até mesmo as frutas na alimentação de seus filhos. A maioria dos baixinhos são resistentes a este grupo de alimentos, seja por preferências pessoais ou por falta de contato precoce com os mesmos. A questão é que este alimentos são as principais fontes de vitaminas e minerais e apresentam funções diversas relacionadas à infância.
Mas, como realizar a oferta deste grupo de alimentos de uma forma em que a resposta da criança seja menos resistente possível? Este é o principal questionamento dos pais, educadores e profissionais de nutrição. O fato é que não existe segredo, e este é o grande problema, pois o processo de educação nutricional infantil é lento, turbulento e demanda disciplina tanto do educador quanto dos pais que são responsáveis por colocar em prática as ações de educação nutricional.
Diante deste cenário segue algumas orientações sobre o processo de educação nutricional dos pequenos.
Durante o primeiro ano de vida, o oferecimento de verduras e legumes não deve ser feito na forma liquidificada, pois é nessa idade que se inicia o processo de percepção e adesão a esses alimentos. Quando liquidificados, os sabores se misturam e a criança não sente o sabor isolado de cada alimento. Por isso, desde o desmame, devem ser oferecido verduras e legumes peneirados, evoluindo para os amassados e em seguida ir ofertando pedaços cada vez maiores.
Para as crianças maiores que não aceitam esses alimentos, deve ser feito um processo de incentivo até que mesma crie gosto pelo sabor dos alimentos. Uma alternativa é oferecer preparações atrativas que tenham verduras e legumes embutidos em sua composição (por exemplo: torta de frango com legumes, macarrão com brócolis, purê de batata com beterraba, suco de frutas com legumes, etc.).
É necessário lembrar que, o primeiro passo para estabelecer a preferência por determinado alimento, é oferecê-lo à criança. Se houver recusa no primeiro contato, deve-se insistir outras vezes, pois as novidades certamente promoveram resistências, “caras-feias”, chantagens e muita pirraça, mas com o decorrer do tempo, a tendência é que sejam mais flexíveis e receptíveis a determinados alimentos. O importante é que se tenha o consumo de pelo menos um tipo de hortaliça (folha ou legume), principalmente nas principais refeições.
Um ponto extremante importante é que os filhos sempre buscam as referências dos pais, e essa regra também vale quando o assunto é alimentação. Portanto, dê o exemplo ao seu filho, evite comentários e comportamentos que vão em confronto com as ações de educação nutricional. Esse pode ser o primeiro e o mais importante passo para o seu filho adquirir hábitos de vida e alimentação saudáveis.

Mérito do texto é de:
Adriana Lopes Peixoto – Consultora Nutricional da A.S.Sistemas
Marceli Almeida Mendonça – Estagiária de Nutrição da A.S.Sistemas
Fonte da imagem:<http://www.corbisimages.com>

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Alimentos para Ansiedade!

 Iremos falar hoje de um mal que infelizmente anda assombrando a vida de muitos que é a Ansiedade. Percebo no consultório que a maioria relata desse mal e que tem prejudicado principalmente quanto a alimentação, pois acabam descontando toda ansiedade infelizmente na comida (Pobrezinha). Com isso ver o aumento do ponteiro na balança é fato, pois tendem a consumir alimentos mais calóricos e sempre é quando não se tem fome fisiológica realmente.
Segue abaixo alguns alimentos que ajudarão quanto a Ansiedade.

A ansiedade é uma sensação ou sentimento decorrente da excessiva excitação do Sistema Nervoso Central consequente a interpretação de uma situação.
       Os alimentos podem afetar o funcionamento do cérebro, modificando o humor, incluindo o estado de alerta e até a percepção à dor. Nos alimentos encontramos elementos capazes de alterar a produção e liberação de neurotransmissores, mensageiros químicos que carregam informações de uma célula nervosa para outra.  A ingestão de carboidratos leva ao aumento nos níveis de insulina, que auxiliam na "limpeza" de aminoácidos do sangue, menos do triptofano. Este aminoácido, uma vez no cérebro, aumenta a produção de serotonina, que é um neurotransmissor capaz de reduzir a sensação de dor, diminuir o apetite, produzir sensação de calma e até induzir ao sono. Dietas com baixo teor de carboidratos por vários dias podem fazer com que o humor fique mais depressivo. 
    Alimentos saudáveis ricos em carboidratos incluem pães e biscoitos integrais, massa integral, arroz, cereais e frutas.  Alimentos ricos em triptofano, substância responsável pela promoção da sensação de bem-estar, principalmente no café da manhã, podem ser benéficos. São eles: leite e iogurte desnatado, queijo branco, nozes, banana, arroz, batata, feijão, lentilha, castanhas, abacate, soja e derivados. Alguns carboidratos como pães e cereais integrais, biscoitos integrais, massas integrais, arroz integral e selvagem, legumes, frutas e mel, também são boas pedidas. 
       A deficiência de ácido fólico tem sido associada à depressão em alguns estudos, por levar à queda nos níveis de serotonina no cérebro. Quantidades pequenas como 200 microgramas já são suficientes para melhorar o humor e podem ser obtidos numa xícara de chá de espinafre cozido ou em um copo de suco de laranja. Vitamina B6 (banana, batata, uva passa e cereais integrais) também é um ingrediente necessário na produção de serotonina. Cálcio  sabe-se que ajuda a reduzir irritabilidade e o nervosismo em mulheres que sofrem de TPM (tensão pré-menstrual). O ideal é ingeri-lo com regularidade, em torno de 1.200 mg por dia. Está presente no leite, iogurte e queijos.  
    A colina é uma vitamina do complexo B que está presente em alimentos ricos em colesterol como ovos e fígado. A falta deste componente pode causar comprometimento da memória e da capacidade de concentração, pois é precursor do neurotransmissor acetilcolina. Inclua ovos no seu plano alimentar, sem excessos. Especula-se que o selênio possa ter alguma função neurológica desconhecida, mas seu mecanismo de ação ainda é desconhecido. Sabe-se que indivíduos que sofrem de carência de selênio são mais irritados, ansiosos e depressivos e a suplementação normaliza o humor. Os alimentos ricos em selênio são as oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas), atum, semente de girassol, cereais integrais. Magnésio (cereais integrais e frutas secas) está envolvido também na regulação de serotonina.
Procure evitar ingestão de açúcares e gordura, alimentos industrializados, sal e cafeína (café, refrigerantes à base de cola, chá preto, chocolate), pois levam a irritabilidade.

Pratique Atividade Física regular sempre com um profissional habilitado.

segunda-feira, 13 de maio de 2013

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Mudança Alimentar é Possível?

Hoje iremos falar sobre MUDANÇA, todo mundo pode fazer, más precisa como tudo na vida de Determinação, Coragem, Persistência e Força de vontade para se alcançar os objetivos sejam quais for. Porém mais precisamente esse objetivo que iremos conversarmos será sobre a mudança dos hábitos alimentares e pra me ajudar nessa conversa, pedi a autorização da Marcélia Macidália Leal que gentilmente autorizou essa postagem.


Más vocês devem está se perguntando quem é essa Marcélia? Será que é alguma paciente? Eu responderia que não, tive o prazer de conhecer - la por meio de redes sociais, onde pude conhecer mais sobre uma bela história de vida agora por que antes não foi tão bom assim. Para saber mais sobre ela, deixo aqui sua história...
http://www.ecomendoqueseemagrece.blogspot.com.br/p/quem-sou-eu.html


Sempre falo com os meus pacientes que nada na vida é fácil ou conseguimos as coisas com facilidade. E acredito fielmente quando as coisas é muito fácil com certeza temos a tendência de não dar valor, isso é fato. Então isso se encaixa perfeitamente com a Reeducação Alimentar, onde não é fácil para a maioria das pessoas, porém não é uma coisa impossível de se conseguir, basta a pessoa verdadeiramente querer e para isso primeiramente precisa se Amar em qualquer situação. Quando falo em se amar, estou falando é de parar, pensar/refletir sobre o que anda fazendo com sua vida... não digo somente por questão de estética que com certeza é de grande valia para a auto estima, más principalmente com relação ao seu estado físico e como você quer chegar na terceira idade. Nosso exemplo de hoje mesmo a Marcélia só se despertou sobre isso quando infelizmente ou felizmente teve um principio de AVC (Acidente Vascular Cerebral), digo felizmente por que foi neste exato momento que a ficha caiu e veio aquele estalo para que realmente houvesse uma mudança na sua alimentação completamente. Porém ela teve essa chance e se não tivesse? 


Infelizmente nós temos o péssimo costume de falar ou pensar... há mais isto só acontece com fulano de tal ou isso nunca irá acontecer comigo, são frases do nosso cotidiano não é mesmo? Porém precisamos urgentemente pararmos de agir dessa forma, por que se não cuidarmos do bem mais precioso que é a nossa saúde com certeza iremos perda - lá. Uma frase que gosto muito de um filósofo chinês é " O Homem joga sua saúde fora para conseguir dinheiro, depois, depois usa o dinheiro para reconquista-la novamente." (Confúsio). E percebemos essa dura realidade claramente nos consultórios, hospitais e postos de saúde. 


Bom mais nem tudo tá perdido não é mesmo? Então quero ti desafiar para que depois dessa leitura você possa olhar pra dentro de si mesmo e fazer uma auto avaliação, como está minha saúde? Como está minha alimentação? Se estiver tudo ok ótimo, más não se esquecer nunca conseguimos atingir 100% na vida, então meus leitores o desafio é diário e precisamos vencer cada obstáculo dia após dia, para que quando chegarmos na terceira idade iremos poder olhar pra trás e ver que tudo valeu apena. Agora, depois dessa avaliação se você perceber que ainda pode mudar e muito com relação a sua alimentação faça igual nossa amiga Marcélia, mude agora mesmo. Lembrando que essa mudança deve ser sempre realizada por um profissional habilitado que são o Nutricionista e um Educador Físico, esta dupla sim é infalível e saberá conduzir com sucesso nessa mudança que com certeza será relevante para uma melhor qualidade de vida. 
Sucessos para todos!


Para terminamos nosso bate papo, quero agradecer de coração a Marcélia, que Deus continue ti abençoando em cada área de sua vida. E parabéns pelo sucesso, determinação que até hoje consegue ter e que continue tendo força nos seus projetos e sonhos. Um beijo nutritivo.

 11/2012 - 77Kg

11/2012 - 77Kg





“Você pode tomar a decisão de ter uma boa atitude, más, se não fizer planos para administrar essa decisão todos os dias, é provável que acabe no lugar onde começou”. (John C. Maxwell)





segunda-feira, 1 de abril de 2013

Páscoa e uns quilos a mais na balança!

O nosso assunto de hoje não é nada mais do que a Pós Páscoa e como isso reflete principalmente na balança. Infelizmente tudo em nossa vida tem uma consequência seja ela positiva ou negativa, e nesse caso aqui a consequência é negativa pois apesar do chocolate ser bastante saboroso, isso terá um aumento significativo na ponteiro da balança que pra alguns pode ser bom más pra outros esse aumento não seria nada legal.

Bom como acostumo falar com os meus pacientes, a partir do  momento que você não tenha nenhuma patologia que ti impeça de comer determinado alimento, tudo é permitido, más deste que você obedeça a quantidade dessa ingestão por dia. E pra você que não pratica nenhuma atividade física as coisas podem ficar pior, pois  não estará gastando ou eliminando aquelas calorias a mais que está consumindo, então neste caso o alerta ( sinal vermelho) seria maior.

Pra que a sua consciência não fique mais pesado depois de alguns chocolates consumidos nesses dias, segue abaixo algumas dicas pra tentar reverter toda essa situação. Vamos lá? Então pegue o lápis e papel na mão. 


  • Beba bastante água;
  • Prefira os alimentos in natura ao invés dos industrializados;
  • Não utilize açúcar e nem adoçantes ( Aproveita a frutose da própria fruta para o consumo de sucos de frutas);
  • Inclua o consumo de chás como: Boldo, carqueja, chá verde, hibisco, chá preto, gengibre ( lembre - se gestante não pode consumir os chás sem uma orientação de uma Nutricionista).
  • E nada melhor que uma receitinha básica de alguns sucos que irão ajudar na destoxificação do organismo.



Agora é correr atrás do prejuízo, se por um acaso ainda tem alguns chocolates na geladeira que tal congelar? Quer saber como? Muito fácil é só na hora que for consumir retirar do congelador e colocar em banho maria e utilizar na forma de salada de fruta, fazer um chocolate quente, bolo, etc. Use a criatividade mais de olho na quantidade do consumo combinado? 


quinta-feira, 21 de março de 2013

22 de Março - Dia Mundial da Água


ÁGUA: BENEFÍCIOS PARA A SAÚDE E PARA A PERDA DE PESO

A água é o nutriente mais importante para a manutenção da vida, sendo que não conseguimos sobreviver após mais de 100 horas de restrição da mesma. Assim, nenhum outro nutriente é mais essencial e requerido em quantidades tão grandes como a água. A quantidade presente no organismo varia de acordo com a fase da vida e entre os gêneros, e está distribuída no meio intra e extracelular. De maneira geral, a água forma 2/3 do nosso peso corporal, compondo 83% do sangue, 75% dos músculos, 74% do cérebro e 22% dos ossos.


A recomendação diária do Instituto de Medicina, publicada em 2004, sobre o consumo de água para adultos é de 3,7L para homens e 2,7L para mulheres, incluindo a água total de todas as bebidas, como café, chá, sucos, e presente nos alimentos. Porém, isso pode variar de acordo com a idade, gênero (homens possuem mais massa muscular, o que aumenta o gasto energético), atividade física, condição patológica ou psicológica, umidade e temperatura do ambiente.
As principais funções da água no organismo são: transportar e distribuir nutrientes, metabólitos, hormônios e outros materiais pelo corpo e dentre as células; agir como solvente; remover produtos de excreção através da urina e das fezes; agir como reagente em reações metabólicas; agir como termorregulador; lubrificar estruturas do corpo; formar mucos protetores; protetor de choque mecânico, como por exemplo, no cérebro; entre muitas outras.
A desidratação, que começa com a perda de 2 a 3% do peso corporal, causa sintomas como cansaço, dores de cabeça, diminuição do estado de alerta, podendo chegar à morte em uma situação de perda de mais de 10% do peso corporal. Sintomas mais brandos, como diminuição da concentração, têm sido observados em escolares no final do dia.
A água deve ser tomada ao longo do dia, principalmente antes de dormir, logo ao acordar e antes, durante e após o exercício físico. Em relação a sua ação no controle do peso corporal, estudos mostram que pessoas que ingerem água, consomem 9% menos calorias em comparação àquelas que não ingerem. Porém, a água, ou qualquer outro tipo de líquido, não deve ser ingerida junto com as refeições, pois há diluição do suco gástrico, prejudicando a digestão e absorção de muitos nutrientes. Seu possível efeito no controle do peso se dá quando a ingestão é feita 30 minutos antes das refeições, pois reduz a quantidade de energia ingerida na refeição. Um estudo mostrou que pessoas que ingeriram mais de 1 litro de água por dia por 12 meses, obtiveram maior perda de peso (em torno de 2kg a mais) em relação às que ingeriram quantidades menores. Entretanto, as informações em relação à ingestão foram somente relatadas, sendo que ainda não há nenhum estudo onde há intervenção que correlacione o aumento da ingestão com a perda de peso. Assim, mais estudos são necessários para confirmar essa possibilidade.
Possivelmente há outros benefícios do consumo de água para a manutenção do peso, como o aumento da taxa metabólica basal, deixando o metabolismo mais acelerado. Ainda falta esclarecer a quantidade e os horários que a água deve ser ingerida para se obter esses resultados.
Vale ressaltar que devemos sempre optar por água de boa qualidade. Sendo assim, atuando diretamente no controle de peso ou não, ingerir água em quantidades adequadas favorece o equilíbrio do organismo, permitindo que todas as funções sejam realizadas harmonicamente. Como consequência, o controle e a perda de peso se tornam mais fáceis.

Fonte: Texto elaborado pela Dra. Camila Gomes Komatsu, aluna bolsista do curso de Pós-graduação em Nutrição Clínica Funcional pela VP Consultoria Nutricional/ Divisão Ensino e Pesquisa.

sexta-feira, 8 de março de 2013

8 de Março - Dia Internacional da Mulher


Vim desejar para todas as leitores e amigas meu sincero parabéns pelo nosso dia, onde deve ser comemorado e festejado não somente hoje mais todos os dias. Parabéns, felicidades e sucessos hoje sempre.



Lembre - se que para se ter sucesso tanto na vida profissional quanto pessoal, precisa ter uma melhor qualidade de vida, onde se adquiri atravês da Alimentação Saudável!

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Dez alimentos que parecem saudáveis, mas não são!

Barrinha de cereais, leite de soja e peito de peru são apenas algumas opções que você compra pensando na saúde do seu filho. Apesar da cara de nutritivos, cuidado: é preciso consumi-los com moderação.




1 - Barrinha de cereais 
Elas prometem ser uma ótima opção para o lanche das crianças porque são práticas de armazenar e contêm fibras – nutrientes que aumentam a sensação de saciedade, dão energia e ajudam no funcionamento do intestino e na absorção de gorduras. Pelo menos na teoria. Especialistas alertam que muitas das barrinhas de cereais que existem no mercado são, na verdade, ricas em açúcar e sódio. Para saber se a que você compra é assim, compare os ingredientes que estão no rótulo. O que vem primeiro é o que está em maior quantidade, então procure marcas em que a fibra esteja no começo da lista. Prefira as de fruta, que são menos gordurosas, e as que contêm flocos de milho, mel, aveia e castanhas. “Também fique de olho porque a lecitina de soja, substância usada para dar liga no alimento, pode causar alergia nas crianças”, alerta a nutricionista Elaine Pádua, autora do livro O Que Tem no Prato do Seu Filho? – Um Guia Prático de Nutrição Para os Pais (Ed. Alles Trade). Você pode fazer uma barrinha mais natural em casa ou substituí-la pela bananada (doce de banana em massa) sem açúcar, que também tem fibra e mais vitaminas. Nesse caso, a banana não é desidratada, como na barrinha, mantendo seus nutrientes. 


2 - Suco de caixinha 
Algumas dessas bebidas, também chamadas de néctar de fruta, têm tanto quanto ou até mais açúcar do que os refrigerantes. São até duas colheres de sopa a cada 200 ml, além de uma quantidade grande de sódio, substância que, em excesso, pode sobrecarregar os rins e aumentar as chances de a criança ter pressão alta no futuro. Os corantes e aromas também aparecem no suco de caixinha (inclusive nos de soja), ou seja, mais química ainda. A saída é alterná-lo com o suco natural (ou água mesmo!). Você pode dar o industrializado no lanche, por exemplo, e o caseiro, no jantar. Na lancheira térmica, o suco natural dura até três horas sem estragar. Para aumentar a duração da bebida, misture-a com água de coco, que retarda o processo de oxidação, é um hidratante natural e não tem muito sódio nem na versão das prateleiras. Outra alternativa são os sucos prontos integrais, que não têm açúcar e só precisam ser dissolvidos em água. Mas não abuse. Qualquer tipo de suco deve ser consumido no máximo duas vezes ao dia, pois são calóricos – pense que, para fazer apenas um copo do de laranja, é preciso três frutas! 


3 - Peito de peru 
Apesar de ser visto como uma alternativa melhor do que o presunto, os dois têm a mesma quantidade de sódio e gordura porque são uma mistura de carne e pele (eca!) do animal. Para conservar o produto, as indústrias usam nitritos e nitratos, substâncias químicas que, segundo algumas pesquisas, podem causar câncer se consumidas por muito tempo. Por isso, libere esses alimentos embutidos ou processados (e, nessa categoria, entra também a salsicha e a mortadela) apenas uma vez por semana, de preferência a versão sem capa de gordura. 


4 - Sobremesa láctea 
As sobremesas lácteas (como o queijo petit suisse ou aquelas sabor chocolate, baunilha...), fazem sucesso com as crianças porque são bem docinhas e saborosas. Mas não se engane pela aparência de iogurte, pois elas têm bem menos quantidade de cálcio – um mineral essencial para o crescimento e fortalecimento dos ossos, dentes e cabelos. Além disso, esses produtos são gordurosos e têm pouca proteína. “No lugar da fruta, mais nutritiva, muitos contêm aromas e corantes artificiais, que devem ser evitados nos primeiros anos de vida pois estão relacionados a uma série de problemas – de alergia à hiperatividade”, afirma Elaine Pádua. Ela explica que os corantes amarelos e vermelhos são os mais perigosos. É claro que seu filho vai querer comer essas guloseimas de vez em quando. Porém, sempre que possível, substitua por uma mistura de iogurte natural com a fruta que ele mais gosta. Basta bater essa combinação no liquidificador ou amassá-la com um garfo. Se o seu filho quiser algo mais doce, coloque açúcar mascavo. Essa preparação deve ser consumida entre 30 minutos e 1 hora. 


5 - Leite de soja 
A soja é classificada como um alimento saudável, mas nem sempre é uma boa ideia oferecê-la para as crianças. Isso porque pode ser tão alergênica quanto a lactose, presente no leite de vaca. “A soja é uma proteína de difícil digestão, por isso, pode causar alergias alimentares em crianças menores de dois anos, que têm um sistema digestivo imaturo”, afirma a nutricionista Santhi Karavias, do projeto Lancheira Saudável, em São Paulo. Alguns especialistas até questionam o nome “leite”, já que ele não oferece os mesmos nutrientes, como os aminoácidos e o cálcio. Se o seu filho tem intolerância à lactose, você já encontra bebidas com adição de cálcio. Também vale substituir por leite de arroz, amêndoa e de cabra. 


6 - Bisnaguinha 
Ela é molinha e fofinha graças a muuuita gordura hidrogenada! Esse tipo de pão é feito de farinha branca e açúcar, ou seja, tem poucos nutrientes e nada de fibras. Não faz mal oferecê-lo uma vez por semana, mas, nos outros dias, opte pela versão integral ou de fôrma, recheando com requeijão ou até geleia, contanto que seja sem açúcar. Os pães de padaria ou feitos em casa, naquelas panificadoras portáteis, também são ótimos substitutos, pois têm menos conservantes. Outra opção rápida e saudável: minipizza de pão sírio! Chame seu filho para ajudar você a montar essa delícia com muçarela de búfala, queijo prato ou queijo branco, tomate – pode ser o cereja, que as crianças adoram – e algumas folhinhas de manjericão fresco. Aí, é só colocar no forno em fogo baixo por 15 minutos e se deliciar.  


7 - Frozen yogurt 
Eles parecem saudáveis por conta do iogurte, que tem pouca gordura e é fonte de cálcio. Realmente são uma boa opção, mas só se a marca de frozen usar iogurte de verdade em sua formulação. “Esse ingrediente é bom porque é natural e não tem aromatizante”, explica Santhi Karavias, do projeto Lancheira Saudável (SP). Em 2011, o Proteste analisou oito lojas e constatou que apenas uma usava mesmo a bebida láctea, enquanto as outras misturavam sorvete comum ou à base de iogurte. “Esses últimos têm gordura saturada e trans, que aumentam o colesterol ruim e ainda diminuem o bom”, completa Santhi. Para se proteger dos “falsos”, analise o rótulo (quando tiver) e pergunte a porcentagem de gordura (quanto mais próxima de zero, melhor). Ah, e controle as coberturas escolhidas pelo seu filho, que costumam ser uma bomba calórica.  


8 - Cereal matinal 
Já reparou no que sobra no saquinho quando acaba o cereal do seu filho? Açúcar puro. Pode ser uma boa fonte de energia, já que cada grão do cereal é um grão de milho, mas só. “É possível conseguir a mesma quantidade de carboidratos em outros alimentos, como pão integral e mingau”, explica a nutricionista Priscila Maximino, da Nutrociência, que presta assessoria nutricional, em São Paulo. Há, no entanto, opções sem açúcar (em geral, destinadas aos adultos). Você pode adicionar uma fruta, como banana ou morango, para deixar a mistura mais docinha. Depois que seu filho tiver um ano, também dá para usar mel. Se quiser usar açúcar mesmo, prefira o cristal (uma colher de chá basta), que é menos processado do que o refinado. 


9 - Empanados de frango 
Parece carne de frango, mas o empanado é o que os nutricionistas chamam de compensado, uma mistura de ingredientes nada nutritivos, como partes de frango, pele, farinha e leite em pó. Então, mesmo que você faça assado em vez de frito, ele não é saudável. Para piorar, o que dá gosto à mistura é o glutamato monossódico. “A substância realça o sabor e interfere no paladar da criança, deixando a papila gustativa acostumada a esse tipo de alimento”, conta a nutricionista funcional Gabriela Maia, do Rio de Janeiro. Muitas vezes o empanado industrializado é usado como substituto da carne de boi ou de frango, que são proteínas completas. Só que eles não são equivalentes. Uma opção é fazê-lo em casa. Não tem tempo? Então, para suprir a quantidade de proteínas da carne, que tal cozinhar cerca de quatro ovos de codorna? O preparo vai levar os mesmos cinco a dez minutos. 


10 - Produtos light e diet 
Se você tinha a impressão de que poderia consumi-los sem restrições, esqueça! Para crianças, os diet e os light são indicados apenas em casos de doenças como obesidade e diabetes. Achar que eles podem ser servidos à vontade, já que têm menos açúcar e gordura, é um erro. “Isso porque o fabricante adiciona sódio para manter o sabor. Então, melhor ingerir uma quantidade menor da versão tradicional do que o dobro da light”, orienta Virginia Weffort, nutróloga do Departamento Científico de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). E a criança precisa de energia para crescer, então não é indicado tirar totalmente o açúcar da dieta – lembrando que ele é encontrado em vários alimentos, como frutas e massas.  


*Eles são saudáveis, quem diria:

Atum Enlatado 
A versão conservada em água em vez de óleo é fonte de ômega 3 e tem gordura boa. Bom substituto para os embutidos. 


Legumes congelados 
São práticos e têm boa conservação de nutrientes e fibras. O congelamento faz com que percam apenas um pouco de vitamina C. 


Pipoca 
É rica em fibras e substâncias antioxidantes, que podem prevenir até câncer. Mas preste atenção no preparo: de micro-ondas não vale. Faça na panela com um fio de óleo vegetal. E não exagere no sal!



Autor/Fonte: Revista Crescer




segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Importância do Lanche Realizado na Escola

Mais um ano letivo se inicia e para se ter um bom resultado com relação aos estudos, precisa se preocupar em que tipo de alimento você manda na lancheira do seu filho/a ou o que eles andam comendo na cantina da escola.

Todo esse cuidado e zelo com a saúde do nossos pequenos irão fazê - lo crescer fisicamente de forma saudável e de forma intelectual também.

Alimentação infantil deve suprir as necessidades nutricionais da criança para adequado crescimento e desenvolvimento e garantir qualidade de vida em curto, médio e longo prazo. A nutrição inadequada tem se tornado um grande determinante das doenças crônicas no ser humano, com isto evidências científicas tem mostrado que alterações na dieta têm fortes efeitos, positivos ou negativos, sobre a saúde e a prevenção de doenças do adulto, já na infância.

O termo alimentação saudável inclui recomendações nutricionais específicas segundo a faixa etária dos indivíduos, que visam a promoção da saúde e a diminuição dos riscos e correção dos erros alimentares.

As refeições e lanches devem ser servidos em horários fixos diariamente, para que a criança sinta fome na próxima refeição.
- Um grande erro é oferecer ou deixar a criança alimentar-se sempre que deseja, pois assim, não terá apetite no momento das refeições.
- O intervalo entre uma refeição e outra deve ser de duas a três horas.


                       NÃO PODERÁ FALTAR NO LANCHE DA ESCOLA
• Um líquido: para repor as perdas nas atividades físicas: sucos, chás, água de coco engarrafados ou em embalagem tetra-pack, preferencialmente sem açúcar.
• Uma fruta: práticas para consumir com casca ou cuja casca pode ser retirada com facilidade (maçã, banana, pêra,morango, uva).
• Um tipo de carboidrato: fornecer energia. Pães (integral, fôrma, sírio), bolachas sem recheio, bolos caseiros. Cuidado com a quantidade, pois é apenas parte do lanche.
• Um tipo de proteína: proteínas lácteas: queijos, requeijões, iogurtes (somente se for possível manter em temperatura adequada).


TIPOS DE LANCHES:
Energéticos:
•Pães de farinhas integrais (aveia, grãos, centeio, integral, preto), pão sírio, pão francês com gergelim
• Bolos simples (de laranja, cenoura, maçã, fubá)
• Biscoitos doces ou salgados sem recheios
• Barra de cereais ( Dê preferência os de frutas e com teor de açúcar e gordura baixo)
• Geléia de frutas
• Mel
Construtores:
• Queijo branco, ricota, queijo cottage
• Leite e achocolatados em embalagem longa vida que garantem durabilidade
• Iogurte
Reguladores:
• Frutas frescas da época, inteiras com casca e higienizadas (banana, maçã, pêra, tangerina, uvas, morango, goiaba, pêssego, ameixa).


O QUE NÃO DEVE ENTRAR NA LANCHEIRA 
•Snacks e salgadinhos de pacote
•Refrigerantes
•Isotônicos
•Balas
•Bolos com recheios e cremes
•Frituras
•Bolacha recheada
•Bolachas doces e salgadas



 Que ao chegar o fim do ano letivo vopossa ter garantido assim mais qualidade de vida ao seu filho/a.



Fonte: Lanche Saudável - Manual de Orientação
Departamento Científico de Nutrologia Sociedade Brasileira de Pediatria 2012



















quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Carnaval exige cuidados antes, durante e após a folia


Para os foliões que já estão na preparação e ansiosos para chegada do carnaval, segue alguns cuidados tanto no pré, durante e pós carnaval.












1) Quais são os cuidados com a alimentação que devem ser tomados no carnaval?
Carnaval é sinônimo de descontração. São quatro dias de música, suor e folia. A alimentação que antecede ao cardápio do carnaval exige uma atenção especial. A preparação requer refeições balanceadas, ricas em alimentos de fácil digestão, livre de pratos gordurosos e frituras. O folião deve abusar de sucos de frutas e água naturais, água de coco e picolés de frutas, que são altamente hidratantes e ricos em sais minerais. A dieta deve conter legumes, verduras, carboidratos na forma integral (arroz, pães, entre outros) e carnes brancas (aves e peixes), além de frutas. Este cardápio equilibrado, com muitas vitaminas e minerais, ajudará a melhorar o sistema imune dos foliões.

2) Como deve ser o cardápio equilibrado?
Durante os quatro dias de festa, as refeições devem ser reforçadas com carboidratos na forma integral, encontrados em massas, batata, milho, mandioca, arroz e pães. E devem ser fracionadas, isto é, ingeridas em pequenas porções, a cada três horas. Estes alimentos são responsáveis por fornecer energia ao organismo, por isso é importantíssimo o seu consumo neste período. Alerta ainda sobre o abuso de bebidas alcoólicas neste e em outros períodos. As bebidas alcoólicas devem ser consumidas com moderação, pelo seu alto valor calórico, associadas aos seus efeitos colaterais.

Após o carnaval, é recomendado uma dieta com o cardápio similar ao indicado para o pré-carnaval, rica em  água natural, água de coco e chá verde, sem frituras e sem carnes gordurosas. Deve ser dada preferência às carnes grelhadas, cozidas, queijo branco, leite desnatado, doces (com moderação) e frutas.

3) Para que o folião cuide da saúde também antes e depois do carnaval, qual é a sua suestão de cardápio? 

Suco energético para consumo antes da festa:

Ingredientes:
01 colher de sopa cheia de beterraba ralada;
½ unidade de cenoura ralada;
01 copo médio de água de coco;
01 copo pequeno de suco de laranja sem açúcar;
½ colher café de guaraná em pó ;
01 colher de sobremesa cheia de semente de linhaça triturada;
½ colher de sobremesa de mel de abelha.

Modo de preparar:
Bater todos os ingredientes no liquidificador, coar e consumir imediatamente.

Cardápio completo para repor as energias depois do carnaval:

Desjejum:
- 1 copo de suco de laranja
- 1 fatia de pão integral
- 1 fatia de queijo branco

Intervalo:
- 1 pera

Almoço:
- 1 pires de salada de alface americana com beterraba ralada
- 3 colheres de sopa de arroz integral
- 1 filé de frango grelhado com molho de iogurte
- 1 copo de suco de uva
- 1 fatia de mamão

Lanche da tarde:
- 1 unidade de maçã

Jantar:
- 1 pires de salada de rúcula com tomate
- 3 colheres de sopa de arroz integral
- 1 filé de peixe grelhado
- 1 copo de água de coco
- 1 ameixa

Ceia:
- 1 copo de chá gelado sem açúcar
 
Lembre - se este é o momento de descontração e de alegria, com isso continue cuidando da sua saúde tendo alimentos de qualidades e cuidado com o excesso de bebida alcoólica. 



Referência: 
Dra. Samara Prozzi 
 
Nutricionista Clínica do Hospital Villa-Lobos

domingo, 27 de janeiro de 2013

Antioxidantes para a beleza da pele: quais as indicações?

Suplementares Alimentares

Nossa pele é constituída por tecido epitelial, um tecido cujas células são firmemente unidas para promover proteção contra agentes externos, como calor, luz, infecções e lesões. A pele bronzeada significa que houve a ação dos raios ultravioletas do sol e quando em excesso pode causar danos à sua saúde (1).

Porém, uma das mais importantes e principais contribuições para o envelhecimento da pele vem do excesso de produção de espécies reativas de oxigênio (ERO) e uma atividade antioxidante reduzida pelo avançar da idade (2). Essa oxidação é atribuída aos radicais livres (RL), moléculas que se formam por uma reação natural do organismo ao processo de queima do oxigênio pelas células. Como são instáveis, rapidamente se associam às moléculas próximas, o que pode levar a danos em células sadias. Em 99% dos casos, o organismo repara esses danos. Mas, se houver aumento na produção de RL, incentivada por uma alimentação inadequada, grande exposição a radiação ultravioleta do sol ou fumo, entre outros agressores, torna-se difícil neutralizar as consequências causadas na pele, como manchas, rugas, falta de hidratação, entre outras (2,3). Neste momento faz-se necessárias doses adicionais de substâncias antioxidantes.

As vitaminas e uma variedade de extratos de plantas têm sido estudadas por possuírem potentes propriedades antioxidantes e têm sido amplamente utilizadas para o cuidado e proteção da pele. Entre eles destacam-se as vitaminas E, A e C, pois são consideradas potentes supressores dos RL (3).

A vitamina E (alfa-tocoferol) auxilia na remoção de Radical Livre, especialmente das ERO. É uma vitamina solúvel em gordura que está envolvida na estabilização da membrana celular por inibição da oxidação de ácidos graxos poli-insaturados, tais como o ácido araquidônico de fosfolípides da membrana. A deficiência de vitamina E tem sido associada com uma síndrome de edema com eritema papular ou alterações seborréicas, secura, e despigmentação prematura infantil (2). Sem a capacidade da vitamina E para atuar como antioxidante primário da pele pode ocorrer um aumento nas rugas prematuras e, possivelmente, levar a uma carcinogênese (4). O mineral selênio (encontrado no queijo cottage, nozes, castanha-do-Pará, sementes de girassol e óleo de peixe) atua em conjunto com a vitamina E para proteger contra o câncer de pele (5).

A vitamina A tem o seu papel mais conhecido na adaptação da visão ao escuro, no entanto ela também desempenha um papel importante no desenvolvimento, proliferação epitelial e queratinização, mantendo as células da pele saudáveis e combatendo os danos dos RL. Sua deficiência irá resultar em uma pele seca e escamosa, mas essa descamação também pode estar associada a uma hipervitaminose assim como a hiperpigmentação da pele (5). Manga, batata doce e espinafre são alimentos ricos em vitamina A (1).

O ácido ascórbico (vitamina C) é uma vitamina solúvel em água necessária para a síntese de colágeno, tendo um papel de cofator na hidroxilação dos aminoácidos prolina e lisina. A vitamina C, combate os danos da pele e rugas, auxiliando o colágeno, proteína estrutural da pele, e elastina, proteína elástica da pele. A sua deficiência mais conhecida é o escorbuto, mas também podem ocorrer hemorragias e comprometimento da cicatrização da pele. Em fumantes e indivíduos que vivem em cidades poluídas a vitamina C tem um papel fundamental no combate aos RL (5). Frutas cítricas, como laranja, kiwi são ótimas fontes de vitamina C (1,5).

Além destas vitaminas, a niacina (vitamina B3) acalma a pele irritada, avermelhada ou manchada e pode ser encontrada no abacate, farelo de trigo, carne de vitela e fígado. Os ácidos graxos essenciais (ômega-3) encontrados no óleo de linhaça, salmão, e sementes de abóbora também são cruciais para a hidratação da pele, mantendo poros limpos e ajudando a prevenir a acne (5).

Uma alimentação balanceada rica em antioxidantes ajuda a evitar os danos causados pelos RL ao organismo, como os causados pelo sol, alimentação inadequada e o envelhecimento (1-5). Porém, muitas vezes não consumimos todos os nutrientes necessários para manter nossa saúde. Por isso, a suplementação de antioxidantes tem grandes benefícios em indivíduos que não atingem a necessidade adequada na alimentação diária.

Tanto a suplementação alimentar quanto a prescrição do planejamento alimentar cabe ao Nutricionista prescrever de forma individualizada e personalizada para cada individuo, portante consulte sempre esse profissional.




Extraído de Nutritotal, http://www.nutritotal.com.br/newsletter/index.php

Referências:
1. U.S. Department of Health and Human Services. A Lifetime of Good Health Your Guide to Staying Healthy. http://www.womenshealth.gov/publications/our-publications/lifetime-good-health/
2. Zouboulis, CC, Makrantonaki E. Clinical aspects and molecular diagnostics of skin aging. Clinics in Dermatology. 2011; 29, 3–14.
3. Kohen, R. Skin antioxidants: their role in aging and in oxidative stress – New approaches for their evaluation. Biomed & Pharmacother. 1999; 53: 81-92
4. Draelos ZD. Eating for a lifetime of healthy skin. Journal of Cosmetic Dermatology. 2011; 10, 1
5. Ryan, AS, Goldsmith, A. Nutrition and the skin. Clinics in Dermatology. 1996;14:389-406.


sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

11 Dicas para perda de peso


Depois de um final de ano cheio de alegria,  regrado de muitas comilanças bastante calóricos, infelizmente isso tudo acaba sendo visto nas roupas e na balança. Então pra quem quer perder aqueles quilinhos extras adquirido no ano passado, segue uma orientação pra perda de peso.

Saúde na Balança



ORIENTAÇÕES PARA PERDA DE PESO

Siga corretamente as orientações dadas pelo Nutricionista, pois é muito importante para o seu tratamento:


  1.    Procure alimentar-se em horários regulares, fazendo em torno de 6 refeições por dia;
  2.    Mastigue bem os alimentos, comendo devagar para facilitar a digestão;
  3.  Procure fazer suas refeições em lugares tranquilos evitando outro tipo de atividade enquanto se alimenta (assistir a TV, ler ou conversar);
  4.  Aumente a ingestão de líquidos para 2 litros por dia, principalmente água. Evite tomar líquido antes, durante ou logo após as refeições (obedeça ao horário de 1:00 h antes e 1:30 h depois);
  5.  Evite o uso de gordura de porco, pele de frango, bacon ou torresmo. Prefira óleo vegetal (soja, milho, canola, girassol, arroz, algodão) em pequenas quantidades para preparar suas refeições;
  6. Aumente o consumo de frutas e vegetais crus, pois estes possuem fibras que ajudam no funcionamento intestinal;
  7. Coma primeiro a salada e depois os outros alimentos. Procure não temperar saladas molhos ou maionese. Use apenas azeite, vinagre ou limão;
  8. Açúcar ou os alimentos que contêm açúcar (mel, balas, bolos, bombons, pudins, chocolate, etc.) devem ser diminuídos de sua alimentação conforme orientação do seu Nutricionista;
  9.  Evite a ingestão de bebidas alcoólicas e refrigerantes, pois estes contêm “calorias vazias”;
  10.  As massas (macarrão, pães, batata, etc.) devem ser evitados ou usados em substituição do arroz;
  11.  Faça atividade física regular. Sugestão: Caminhe no mínimo por 30 minutos ou qualquer outra atividade física que você preferir ou puder, desde que seja ACOMPANHADO POR PROFISSIONAL. Não altere sua alimentação quando estiver fazendo atividade física, mantenha a recomendação do seu Nutricionista;


Observação importante: Essas orientações não substitui o acompanhamento nutricional presencial.